domingo, 30 de maio de 2010

De domingo e cosmos 2


Mais um domingo, e como já disse , dia que, invariavelmente, meu pensamento vai pra longe, penso no cosmos, no universo, na nossa pequenez, em nossa solidão universal. Pois concordo com uma solidão universal tão imensa, que só ela responderia a incrível solidão que existe dentro de outro universo, nós mesmos, quantas vezes!
"Atrás do arranha-céu tem o céu, tem o céu, e depois tem outro céu sem estrelas" disse Mautner na música Maracatu Atômico, que das muitas versões que gosto, prefiro essa que coloquei do muitíssimo saudoso Chico Science com a Nação Zumbi.
Quando digo solidão universal não é que penso que estamos sós no universo, ao contrário, acredito piamente em vida fora da Terra, todavia, concordo com o Marcelo Gleiser que essa vida, se inteligente, está tão distante de nós, tão infinitamente longe, que podemos dizer , no fundo, que estamos sozinhos, nós nessa Terra, com a gente mesmo, não parece boa hora para olharmos uns pros outros, então? E colocar aquele pensamento de amarmos reciprocamente em prática, cuidar da nossa morada?
Domingo é dia de pensar em ciência, mas também em fé, se não, como acreditar piamente e como amar tanto, como confiar em outros domingos, querer amar a Terra e tudo que há nela, sem nosso divino poder de crer. Bom domingo e semana a todos!!!

A música , como falei, é maracatu atômico, Nação Zumbi e Chico Science e as imagens são da ilustradora australiana Catherine Campbell ,lindas,não?


sábado, 29 de maio de 2010

Segredo sagrado - Do meu tempo


Tenho um tempo. Um tempo próprio, só meu. Eu sempre sabia disso intuitivamente, é claro, mas, mais ou menos quando eu tinha uns 19,20 anos um chefe e amigo meu verbalizou isso em voz alta - a Libia tem um tempo só dela. E desde então, vez ou outra, lembro do que ele falou, pois foi uma daquelas coisas que se diz e ouve que ficam paradas no ar, como segredos revelados. Como todo segredo,sagrado.
Entretanto, é a mais pura verdade: meu tempo é diferente. Constitui-se em estações, que levam anos, ou segundos.
Muitas vezes, emperro em algo que não presto muita atenção, e vigio ao mesmo tempo,aí deixo esse tempo passar, passar, depois, me decido e desemperro com incrível facilidade, a qual, ironicamente, já a sabia desde o início.
Em outros momentos, não perco um só segundo, nem para o sono, me consumindo.
Esse tempo tem um quê de onírico, de sonho, de queda livre, como a Alice caindo no buraco, a fada Morgana se perdendo além das brumas, na terra do povo mágico... etéreo como a espuma do mar, mágico como sereias e unicórnios.
Esse tempo, também, tem aspectos cartesianos, racionais e lógicos que me jogam na frente anos-luz, se constituindo ainda assim insondável, misterioso e infinito como o espaço sideral.
Tudo parte de uma coisa só, de mim, imensidão.

Essas imagens escolhi cuidadosamente, para combinar com essa postagem, tem o tom que desejo passar se não conseguir pelas palavras. São da artista Nina Pandolfo, sim, dos Gêmeos, sua parceria com os dois resultou em trabalhos muito legais, mas seu traço é único!! A música é parceria do incompreendido Otto e da mexicana Julieta Venegas,vão gostar.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Inimigos 2- Fazendo as pazes


Bom é quando a gente faz as pazes com o inimigo, ou seja , com a gente mesmo e é uma festa! Geralmente acontece quando dá tudo certo, quando conseguimos vitórias, e não precisam ser graaaaaandes vitórias, podem ser pequeninas. E isso faz parte do que falei antes: explicando melhor, comemorar suas pequenas vitórias do dia a dia é um passo importante para se amar e deixar de se sabotar.
Essas vitoriazinhas como realizar aquela tarefa marrenta do seu trabalho, acertar naquela receita, fazer os seus exercícios físicos diários que você tanto precisa, terminar aquele capítulo que parece intransponível na sua leitura, ou como eu, colocar uma música da Norah Jones nessa postagem, que,p*#@/, me deu muito trabalho!
Deem uma chance a vocês mesmos!! Prestem atenção em cada realizaçãozinha que vocês fazem todo dia, podem ter certeza: são pequenos milagres!
A música, como já expus é da Norah Jones, voz muito boa, não entendo direito essa música, mas gosto dela,é demais. A imagem é de uma ilustradora e designer mexicana Anita Mejía, acho que se chama happy whale

Norah jones - Young blood

terça-feira, 25 de maio de 2010

Inimigos


Somos nosso principal inimigo, talvez, muitas vezes nosso único inimigo. Somos nós que nos boicotamos. A principal voz negativa contra nós mesmos, é a nossa.
Aquela voz que diz que não somos capazes, que não vamos conseguir, que não somos suficientemente jovens, belos, inteligentes,rápidos, a que diz que perdemos o bonde, nossa voz é aquela que diz, "tá vendo, eu te avisei", a voz do fracasso.
Nós como inimigos somos quase imbatíveis, conhecemos melhor que ninguém o campo adversário, sabemos os flancos mais fracos, a inabilidade e rachaduras do opositor.
Diante de algo que queremos tanto, inventamos desculpas e obstáculos que nem o maior engenho de Lex Luthor poderia imaginar, muitas vezes desculpas banais, mas sempre barreiras, barreiras.
Tudo isso, meus caros, fruto do mais puro medo, claro como a água. Morremos de medo de conseguir, de vencer, de produzir, de pensar, do que os outros pensam, de mudar, medo de ser mais, temos medos inúmeros de tantas coisas que chego a ficar sufocada em pensar.
Como superar esse medo, como nos tornar amigos de nós mesmos é luta diária. Antes de tudo, devemos querer passar pro nosso lado, depois devemos prestar muita atenção nos nossos pensamentos, e tentar mudá-los, veja que difícil!!
Sobretudo, devemos nos amar, nos perdoar, nos aceitar, rir de nós mesmos e quando parecer que não há pessoa mais ridícula, saber que tudo passa e isso é o mais terrível absurdo. Devemos saber que fomos feitos para brilhar, que somos eternos, belos e únicos...e que esse veneno está só dentro da sua cabeça, mas que bom, lá também está o antídoto.
A imagem do garoto com a gaiola é de um artista chamado Egil Paulsen e se chama Kamicarus, a outra é de um artista fabuloso, do Alaska, chamado Sam Weber.

domingo, 23 de maio de 2010

Transformando lixo em arte: de novelas e acesso


Brasileiros gostam de novela, é fato. Gostam sim, mesmo os que não gostam, ao menos uma vez já viram uma ceninha, sabem o nome de ao menos um ator ou atriz, conheceram um cantor, ou música que gostam numa novela. Novela brasileira, é claro. Eu também não gosto de novela (será?) mas é inegável e admito que a novela brasileira é um elemento cultural fortíssimo em nosso país.
Mas estou aqui para falar uma coisa boa, muito me admirou esses dias ao ver a abertura da nova novela das oito e imediatamente reconhecer o estilo de um artista plástico do qual sou muito fã, o brasileiro Vik Muniz, acompanho seu trabalho a bastante tempo, ele usa material inusitado para compor suas obras, num estilo só dele, sua crítica social começa em utilizar e transformar lixo em obras, cheias de mensagens. Aqui coloquei uma em que utiliza açúcar e outra diamantes!
A coisa boa é popularizar a arte. É colocar ela pra o Brasil inteiro ver, daí gostar ou não, mas o acesso a ela, tem que ter, é direito constitucional. Alguém já disse que a gente não quer só comida, quer bebida, diversão e arte. Ultimamente, além da abertura da novela, Vik Muniz fez um trabalho para uma campanha do governo contra AIDS. Ele que é radicado em Nova York podia nem ligar, como tantos...

Ano passado, tive a oportunidade de ver uma exposição dele em Belo Horizonte, estava na cidade e fiquei sabendo da mostra, daí fui ver, muito bom, outra exposição que vi naquela cidade foi Marc Chagall, mas aí é outra estória de bodes e violinos.
Mas esse acesso à arte (qualquer tipo de arte), ainda é muuuiiiito difícil pra nós brasileiros: é caro, é fechado, é mal divulgado, como coisa que não gostássemos ou não fosse importante. Como coisa que nós, o povo, só pudéssemos assistir às medíocres e infinitas novelas que nos são impostas. Que Vik consiga com seu toque transformar esse lixo em arte, pra nós é um bom começo.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Se você fosse comer uma caixa de giz de cera por qual cor começaria?


Se você fosse comer uma caixa de giz de cera por qual cor começaria? Uma vez um amigo perguntou. Eu começaria pela roxa azulada, depois aquele lilás e seguiria pelo laranja vivo,já perceberam que tem cores que só existem lá, nas caixas de giz de cera? E que dá uma vontade danada de comê-las?
Eu relaciono essa vontade de comer giz de cera, ou fazer outras coisas semelhantes (o que vocês desejam?) com a contemporânea toy art, eu adoro toy art, design, ilustrações feitas em computador... todos, todos, com uma incrível selvageria. Somos homens do século XXI com uma animalesca e instintiva arte gravada em nossa memória.

Com desejos incontroláveis. Se é desejo não é sempre incontrolável? Respondo dizendo que há muitas nuances do branco ao preto, são muitos tons de cinza, usando uma variante da música que coloquei hoje,também apresentada por esse mesmo amigo.
Encontro muito esse sentimento na arte de hoje, de algo além da casca, algo além da aparência tranquila, por baixo um mar revolto, trágico, apaixonado,intenso e selvagem, ansiando por liberdade. Será que somos tão livres que somos presos e traduzimos tudo com violenta e selvagem beleza?

Não deixem de ouvir a música,Adele cantando uma dos Racounters. A escultura em giz de cera é de um artista chamado Pete Goldlust,Carved Crayons, a outra com homenzinhos é de um artista chamado Heli Hietala; o ursinho é um dos meus preferidos na toy art

quinta-feira, 20 de maio de 2010

20 de maio: feriado nacional


Feriado comemorativo . Faz 15 anos que ganhei meu melhor presente, hoje é aniversário do meu filho. É contraditório mas sempre tenho a impressão de que eu que faço aniversário, eu que ganhei um presente.
Acho que todo mundo que convive com ele pensa assim. Com certeza, o mundo é muito melhor já faz 15 anos hoje.A gente fica com a sensação de que tem um tesouro pertinho, uma jóia, algo muito especial.
Assim, só tenho que desejar que ele viva muito e transmita essa energia boa, de amor que tem a todos que encontre pelo caminho, que confie em si mesmo, sempre!!! E que receba todas as boas bençãos que eu possa dar!


Essa imagem que coloquei hoje se chama New beginning, de um artista que gosto muito Tom Bagshaw, ainda vou colocar mais coisas dele aqui.
A música é especial, me acalmou com sua suavidade numa certa sala de cirurgia há 15 anos atrás.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Mobilizações

Para uma geração que tem que aprender a lutar!!

Estão muito na moda as flash mob, que são encontros de pessoas que não se conhecem, em espaços públicos para fazer algo juntos, coisas que a gente considera inusitadas, engraçadas, para bater um recorde e outros. Por exemplo, recentemente tivemos o "no pants", as pessoas se juntaram em diversas cidades para tirarem as calças e ficarem só de roupas íntimas. Daí, você me pergunta : Para que servem as flash mob? E eu te respondo: Acho que apenas para as pessoas se encontrarem e fazerem coisas inusitadas, para testar o poder da internet, já que é aqui que marcam os encontros e põem em prática todas as idéias malucas, quase nada do ponto de vista político.
Mas daí eu tenho que te dizer uma coisa, aqui em Brasília os estudantes não tem direito a meia passagem em ônibus.Atualmente, passam por uma humilhação sem tamanho porque tem um chamado passe livre que nada mais é do que um cartão que eles abastacem e pagam uma passagem reduzida, mas , quando vão abastecer não conseguem e passam a maior parte do mês pagando inteira. Só que o repasse feito pelo governo para os empresários é feito com antecedência, assim, os empresários ganham duas vezes.
Essa semana inteira, filas intermináveis de estudantes tentando abastecer o cartão foram vistas em todos os jornais.
Fico me perguntando onde está a dignidade desses jovens, sua força, digo-lhes que direitos não se fazem sozinhos, não caem do céu. Direitos são conquistados!!!
Quando eu era adolescente em Fortaleza, participei ativamente de diversas passeatas e manifestações em busca do direito à meia passagem. O resultado é que depois de muita luta, conseguimos esse direito e a carteira é utilizada também para meia em eventos culturais e cinemas. Até a lei ser aprovada e promulgada demorou, mas como qualquer direito vai se consolidando no tempo, e hoje, nem pensem em tirá-lo dos estudantes cearenses, ou alterações que os prejudiquem. No entanto, a área metropolitana ainda paga inteira, mesmo com lei que diz o contrário, e muitos políticos se aproveitaram da situação e fizeram carreira em cima da luta dos estudantes. Mas, lá, não há repasse para empresário algum por parte do governo, e a passagem custa bem menos do que aqui em Brasília.
Aqui em Brasília, outro dia,no pátio em frente ao Museu e à Biblioteca Nacional, me deparei com umas dezenas de jovens só de roupa íntima em suas bicicletas se organizando para uma bike flash mob, algo como nu de bicicleta.
Aqui é a terra das passeatas,milhares de manifestantes vem aqui todo ano reivindicar alguma coisa nas portas do Congresso.

Estudantes de Brasília,uni-vos! Usem a internet, juntem-se como o fazem para as flash mobs, e lutem pelo que vocês precisam, juntem os universitários, de ensino médio e fundamental, vocês tem uma força enorme,encham a frente da Câmara Distrital, em um movimento não partidário, ou multi partidário, falem juntos, aproveitem o ano eleitoral e a falta de moral dos deputados distritais. Pressionem, comprem a briga contra os empresários , melhorem o seu transporte público, ele é seu , ninguém vem dar nada de graça, mas podem tirar...lembrem-se que eles estão querendo votar a redução do direito ao passe livre apenas a alunos de escolas públicas com renda até três salários mínimos.
Boa sorte a todos.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Torcendo pros romances


Outro dia me perguntaram por que eu não torcia para a Carrie e o Mr. Big, do sex and the city,como escrevi numa postagem sobre o filme. Acho que pela independência dela, pelo que ela representa, tal como eu expliquei antes no post. É como não torcer pela Scarlett O'Hara ficar com o coronel, e só fazer isso bem no finzinho do filme, ou como não torcer por Elizabeth, a rainha virgem, para ficar com homem algum durante seu longo reinado.Essas mulheres fortes como são parecem que não podem amar, ou que superam tudo, mesmo a falta de amor, ou o fim dele.
Assim torcemos a vida inteira pela Vivian de Uma Linda Mulher, pela Julieta, para a Garota de Rosa Schocking, pela Demi Moore no Ghost,e outras tantas. São todas sofridas, frágeis, históricos trágicos, envolvidas em um amor sem fim, mas impossível.
Torcia , especialmente, pela Izzie da Grey's Anatomy ficar com o Denny, e com ele vivo! Assistia a série só por causa deles, mais do que pelo Patrick Dempsey. E aí, torcíamos que o Denny se recuperasse e eles pudessem casar, e serem felizes.
Foi torcendo pela Izzie que percebi que , na verdade, eu torcia era pelo primeiro grupo que eu falei (o da Carrie e da Scarlet O'Hara), pois , no fundo, eu sabia que o Denny ia morrer e ela ia pirar, e que ela não era a mocinha clássica que parecia ser e como diz a música que eu coloquei hoje: ' o amor é um jogo pra se perder'.

É, é difícil admitir que se torce para a mulher forte, para o amor mais impossível ainda que é o daquela que dificilmente vai ser amada ou perdoada, e só por ser ela mesma, e vencer sozinha, sem esperar a ajuda do príncipe, mulheres mais possíveis,mais parecidas com a gente, com defeitos. E, desta forma, ainda na Grey's Anatomy, torcia, secretamente, para o Derek não ficar com a fraca Meredith e voltar para sua esposa adúltera Addison, linda, enigmática, forte, inteligente e louca por ele, mais impossível do que tudo acontecer, claro.
As pessoas não ousam, por isso Jane Austen é um clássico, porque nos fez torcer pela ousada, anti-heroína Elizabeth Bennet, e mais atualmente , pela Bridget Jones, ficarem com o sr. Darcy.
Respondendo a pergunta, na verdade, não torcia para Carrie ficar com o sr. Big porque acho é que ela merecia algo melhor!

Love Is a Losing Game – Amy Winehouse

sábado, 15 de maio de 2010

Poesia para sábado



Soneto do Orfeu

São demais os perigos dessa vida
Para quem tem paixão, principalmente
Quando uma lua surge de repente
E se deixa no céu, como esquecida

E se ao luar, que atua desvairado
Vem unir-se uma música qualquer
Aí então é preciso ter cuidado
Porque deve andar perto uma mulher

Uma mulher que é feita de música
Luar e sentimento, e que a vida
Não quer, de tão perfeita

Uma mulher que é como a própria lua:
Tão linda que só espalha sofrimento,
Tão cheia de pudor que vive nua.

Vinicius de Moraes

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Pussy Wagon Top



Tem gente que quer cortar os pulsos,aqueles que fazem tudo para aparecer, penduram ou viram melancia para ganhar uns minutinhos de fama, desde que, de repente, um carro, sem o menor esforço a não ser o de gastar uns litros de diesel, vira ícone fashion, badalado no mundo inteiro, a Pussy Wagon.
Essa pick-up da Chevrolet apareceu em Kill Bill e rouba a cena , simples assim!!

Serviu de ambiente para A Noiva relembrar dos movimentos corporais após o coma e nos chamou a atenção desde a horinha que apareceu o seu chaveiro... e os dados de pelúcia, então, são tudo!!! E as cores ? Amarelíssimo, flamas vermelhérrimas,muito boas. Discretíssima, leva Uma Thurman a casa de uma das Deadly Vipers para um acerto de contas.
Parece assim que a Pussy Wagon tem uma vocação e no clipe de Telephone reaparece confirmando essa, leva Lady Gaga e Beyoncé através de sua aventura, uma verdadeira terceira personagem.
Ao ser emprestada por Tarantino para estrelar no clipe da Gaga, a Pussy Wagon, definitivamente ocupou o seu lugar de ícone cult-fashion-mega-pop, assim, fácil, como nasceu pra ser!!

Telephone – Lady Gaga Ft Beyoncé

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Pra chama não se apagar


Cultivar,né? Pra chama não se apagar, pra não desencantar.
O tempo ferrenho, inglório, soberbo apaga tudo, apaga sentimentos e apaga pessoas na nossa vida. Se vocês descobriram como manter qualquer coisa me falem, porque tenho a sensação que tudo se esvai , caindo pelos dedos como areia fina... a gente não evita isso, tudo , tudo é efêmero, volátil.
Pra nós cabe aproveitar o momento, a vida, respeitar cada ser que passar pela gente porque aquele momento pode ser único, e não ter outra oportunidade com aquela pessoa.
E se for alguém que você quer manter, quer amar e conhecer mais, cultive!! O tempo é rei, e não nos dá segundas chances.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Não é justo! Da seleção brasileira de futebol - 1


Quem me conhece sabe que adoro futebol, assisto desde jogos da champions league, do campeonato inglês e alemão até icasa, verdão do cariri contra o limoeiro, e torço também para o ibis do recife.
Simplesmente ADORO quando tem Copa do Mundo, que agora tem que chamar de Mundial, vá entender os quiproquós comerciais envolvidos nisso. Assisto todos os jogos que posso mesmo,mesmo!!(embora odiando a narração vocês-sabem-de quem).De todas as seleções, tem as que prefiro: os jogos da Alemanha, da Inglaterra, Espanha, os da Argentina... e acompanho o que posso sobre futebol.
Sei, por exemplo, que o Maradona chamou sete ! Sete, amigos, atacantes para a seleção hermana, e claro, o Messi, embora, por pirraça não convocou o Cambiasso, mas isso é problema deles, que nós temos os nossos.
E quando eu falo nossos, eu falo de Dunga. Ele simplesmente, em nome de uma coerência e lógica que só ele entende faz uma convocação tímida, para ser complacente, quase sem sal! Ter levado o trio espetáculo da Vila mesmo para sentar no banco faria toda a diferença para os brasileiros, estaríamos em lua de mel!
Cadê o atacante que faz a diferença, que bota medo nos adversários, como diz o Chorão, o camisa dez joga bola até na chuva, o cara que enche a torcida de orgulho? Acho que é disso que ele esqueceu...da torcida!!
Não sei ao certo quando os dirigentes do futebol brasileiro esqueceram da torcida, mas faz tempo. Falando por mim, não me lembro desde quando a seleção brasileira não entusiasma, e nos faz torcer de verdade, faz tempo que torcida e seleção brasileiras não são cúmplices.
E isso não é justo!! Não basta sermos campeões, quem torce tem que sentir paixão, tem que vibrar, tem que se emocionar com o futebol, senão a gente acaba querendo ver o Klose jogar, o Drogba, o Lampard, e por aí vai.

Essa música da Lily Allen é um folk-country-algo assim que fala disso, de falta de 'pegada' como se diz. A pintura é de um artista cearense Tiago Césius, para dar um toque de tropicalidade (risos).


It’s Not Fair – Lily Allen

segunda-feira, 10 de maio de 2010

11 de maio: festa francesa


Hoje é aniversário de uma francesinha muito especial, uma Amélie Poulain, meio abrasileirada talvez, e com um sotaque americano de Sobral, apimentado com um toque suave de dendê baiano, que pimenta demais faz mal ao seu delicado estômago.....FRANCÊS!!
Como boa parisiense é chique, é magra, tem um gosto magnífico para decoração, tem uma pele de pêssego da qual cuida religiosamente com os melhores cremes e bloqueadores solares do mundo, logo se vê que ela me mataria se eu contasse sua idade, que sei por um grande acaso (risos).
Sendo uma artista e bailarina, acho que também escolheu Paris porque no fundo é um pouco Esmeralda de Notre Dame, cigana das mais belas e misteriosas...Paris, je t'aime, com todas as faces que tem, sua frescura, seus vampiros, seus perfumes, sua moda,sua simplicidade provençal.
Quem já a viu passar com seu guarda-chuva e sua bicicleta francesa dos anos 20 do século passado sabe que se inspiraram nela para fazer o filme de seu fabuloso destino.
Que você consiga deixar sua "la vie en rose"! Que hoje você possa sonhar mais e transformar o mundo com sua criatividade, mesmo que o mundo seja o minimalismo de você mesma!!

Seu presente, essa musiquinha e a ilustração linda da artista Jana Magalhães.

sábado, 8 de maio de 2010

dia das mães


Toda segunda semana de maio é a mesma coisa, correria para comprar o presente do dia das mães, data ansiosamente esperada pelo comércio para faturar um a mais, e semana das notícias de jornais já escritas a pelo menos quinze anos pelo jornalisminho safado que são tiradas de seu sono de um ano e aumentadas com alguma frasezinha da moda, "presentes pra lá de especiais","a mamãe merece" e o famigerado "o look certo pra mamãe moderna".
Cansativos, enfadonhos!
Que essas datas só servem para se gastar todo mundo sabe. No entanto, de tanto que se toca no assunto de mãe, lembramos delas, com uma ponta de saudade, amor, mas também, um tantinho de decepção, rancor, despeito, dependendo de sua relação com ela na vida, ou naquele ano, ou naquele mês, e se quisermos, podemos , sim, transformar essa data em uma confraternizção familiar.
Eu , no que me cabe este ano (pois tem anos que não é assim), sinto falta da minha, que está longe, bem que eu gostaria de estar lá hoje e preparar um almoço pra gente. Minha mãe tem um jeito peculiar de encarar a vida, e lá do jeito dela nos deu um sentimento de família a mim e meus irmãos.
Ao me tornar mãe não consegui me colocar no lugar dela, como é seu desejo, impossível já que só consigo enxergá-la como filha, mas me pego repetindo atos, gestos e palavras que são dela ( e até de minha avó), e posso dizer que em relação ao meu filho meu amor é incondicional, imenso, que penso a cada instante em seu bem estar, educação, que ele é a primeira coisa que penso em qualquer decisão que vá tomar e que , sem piscar, eu daria em qualquer momento, minha vida no lugar da dele... isso deve ser o bastante, quando você aí ficar se perguntando se é uma boa mãe, se sentir isso, você deve ser.
Feliz dia das mães a todos.

Ah, a pintura é um detalhe de um quadro de Klimt.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Eu sou linda, absoluta, tãnãnãnãnã

Carrie on! Mais glamourosa do que nunca em Sex and the city 2



Como uma mulher que nem é tão bonita assim, nem sensual,tá certo que é magra e loura, consegue mexer tanto com as mulheres ocidentais no mundo todo. Vocês já viram o trailer do filme? É muito glamour, gente! E com a música que eu amo do Jay Z e Alicia Keys, que eu coloquei para vocês aqui (aperte o play!), o trailer não postei não, mas tá no you tube, bom mesmo é ver no cinema, mas coloquei os cartazes, adoro esse do vestidinho branco!
Na verdade, eu não vi o primeiro filme e, provavelmente, não vou ver esse segundo filme, embora possa fazer uma exceção e assistir, o trailer foi mais convincente do que o do primeiro. Vou ser franca, sempre me decepciono com filmes que são provenientes de séries, deixam muito a desejar, tentam equilibrar em duas horas o que levam temporadas e temporadas para sequer concluir. Carrie e o Sr. Big, como resolver isso em um filme? Eu nunca torci para ficarem juntos, acho que Carrie é uma anti-heroína romântica, acho que ela não tinha que ficar com ninguém "pelo resto de suas vidas".

O fato é que gostamos de Sex and the city, mesmo achando um monte de defeitos na série (o que dirá dos filmes), eu , por exemplo, achei muitas vezes que eram preconceituosas no mais puro preconceito norteamericano, aquele que é, mesmo quando acha que não é.
Gostamos porque as quatro são exatamente uma só, nós mesmas, e amigas!!! Seriam, ao menos, quatro faces de nós mesmas que convivem harmoniosamente, e isso é o que nos prende. Somos a boazinha, conservadora e sociável Charlotte, a mandona, séria, profissional, rígida e atenta Miranda, a insaciável ( e mais velha),libidinosa, sexy, sensual e perverida Samantha, e somos a protagonista "equilibrada" Carrie, mais próxima de todas nós pois é um pouco das outras três, mas cheia de defeitos, a começar por sua cara de facão e sua compulsão em comprar sapatos, mas poderosíssima, glamourosa,inteligente,vestindo e calçando as melhores marcas, cheirando a Dolce & Gabanna e que não engorda, mesmo comendo cupcakes adoidado. E todas essas,muitas vezes constatando que são o oposto do que pensam que são, em aventuras novayorkinas.
Brilhante!!

Empire State of Mind -Feat. Alicia Keys – Jay-Z

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Doce Lar


Algumas coisas nos confortam, a fé, o amor, esperança, amizade...esse conforto é necessário para podermos superar, ir além. Esse conforto se chama lar!!
Onde está o lar? O lar está onde o coração ri sem timidez. O lar está onde as lágrimas secam por si mesmas.- disse o artista Vernon Blake. Concordando com ele, acredito que lar pode estar num abraço , no colo de quem a gente ama, na risada gostosa do seu filho, no jardim que você tanto ama, no mar que acolhe,num caminhar,no café da tarde com amigos, num mergulho prolongado na piscina, no calor dos seus lençóis num dia frio, numa xícara de chá. O lar está dentro de nós mesmos, qualquer coisa pode nos despertar para o melhor de nós e nos reconfortar...
Fique atento em você, somos nosso próprio lar e você sabe que não há lugar como nosso lar, lembra da Dorothy?

Essa ilustração é de uma capa de livro vintage para presente da Oiseaux. A música que coloquei é atualíssima(pra ouvir, como sempre, aperte o play), muito boa, que não dá para ficar fora do mundo, né, hoje foi um pouco de lar para mim, gosto do Justin e acho legal o som dos nomes Timbaland e Timberlake (risos).


Carry Out – Timbaland e Timberlake

terça-feira, 4 de maio de 2010

sentindo falta do quê?


Nesses dias tô sentindo falta de amigas, de jogar conversa fora, de esquecer das contas, das preocupações e rir um pouco ou rir muito, em companhia.
Tô sentindo falta de uma leveza que só os amigos trazem, ninguém mais; daquelas conversinhas que só amigos tem, de falar de coisas que só amigos falam e de uma forma que só estes entendem, no fundo, viramos crianças e adolescentes com os amigos.
Amigos arejam a mente, renovam, empurram, vibram, rir com amigos é o melhor remédio!

A fotografia é da artista Julia Pernambuco,uma adolescente muito,muito talentosa, depois posto mais fotos dela, são muito legais.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

De domingo e cosmos

Segunda-feira não é o pior dia da semana, não, é o que você fica com mais preguiça, mais cansado,mais mal-humorado, pior do que o domingo a tarde não há. No domingo , finalzinho da tarde, chega uma tristeza, um horror, sufocantes, e que não tem remédio que dê jeito, desde criança, quando eu nem sabia o que era calendário, ou ver as horas, ou que dia da semana existia, em minha rotina de mundo infantil, eu já odiava os domingos a tarde, sempre ouvia à distância um rádio AM com um locutor transmitindo um jogo de futebol daquela maneira que conhecemos, era um voltar pra casa, acabar a festa, um querer descansar para começar a semana raiante que nunca me convenceu. Sempre fui meio revoltada com isso, e nunca vi graça em programas de tv dominicais, ao contrário, sempre nutri por eles um ódio devastador, se possível, os desintegraria com meu pensamento, para meu azar, pois estes não só aumentaram de número, como uns copiam os outros e se revezam abaixo da mediocridade, rir de alguém que leva um tombo, ou se machuca, como conseguem imaginar que isso tenha algum resquício de graça? Sempre me apiedo, assim como das pessoas que são enganadas em pegadinhas, o pior é que a internet tornou-se uma meca para esses vídeos.
Parece que sou de outro planeta, sempre pensei isso, desta forma, sempre acabo os domingos pensando na vida como fenômeno cósmico, nos planetas, galáxias, universo. Se , como Marcelo Gleiser preconiza, a vida em si é um fenômeno raríssimo, vida complexa, preciosíssima, e vida inteligente, rara e preciosa elevada a milionésima potência, putz, como desperdiçamos essa vida com bobagens, com domingos e semanas vazias, com entretenimento oco, sem ao menos fazer a menor reflexão.
Se essa vida é um presente e a Terra um presente mais delicado ainda, acho que ainda não estávamos preparados para ganhá-los, pelo menos é o que penso todo final de domingo.
Boa semana!